sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Casa arrombada, trancas à porta.

Depois disto

Isto

Escrevi um artigo sobre uma notícia que circulava nos meios de defesa chamado Não subestimem os russos. Nesse artigo chamava-se à atenção que um avião russo, contendo um dispositivo de comunicações, tornou um navio da classe Aegis (o USS Donald Cook), que estava no Mar Negro, completamente incapaz de se defender, por lhe faltar eletricidade.

Nas idas e vindas, a história foi confirmada e negada várias vezes por várias fontes. Mas tive confirmação independente: um conhecido meu falou pessoalmente com um dos marinheiros que estava no navio e este confirmou-lhe o essencial da história, acrescentando o pânico que os marinheiros sentiram perante o inusitado.

Na minha opinião de engenheiro, o tal dispositivo não é senão um aparelho de comunicações que ativa um bug no software ou nos circuitos elétricos dos navios Aegis, seja este fruto de um erro ou de uma implantação intencional por amigos do alheio. Porque é que Putin resolveu mostrar o dispositivo e levantar a lebre, anulando a vantagem que tinha ao desencadear uma investigação corretiva? Talvez porque não queira a guerra, refreando os inimigos. No back to the old drawing board ganha-se tempo.

Não esperem que, onde se veja uma barata, outras mais por lá não hajam. Os russos devem ter revelado um pequeno segredo. Outros mais estarão bem guardados.