terça-feira, 23 de dezembro de 2014

A China está a preparar-se...

Com mísseis intercontinentais com várias ogivas teleguiadas. Já em testes.

O novo míssil intercontinental chinês DF-41.

Boa sorte a desenvolver um sistema anti-mísseis para estas coisas.

Como se estima (estima!) que a China terá cerca de 10.000 ogivas nucleares, faltava-lhe um veículo melhor que o anterior, o DF-31. Ei-lo em testes e pronto para a produção. O DF-41 tem um alcance de 12.000 Km, podenndo assim atacar a maioria do território americano a partir de um ponto oriental na China, ou quase toda a Europa a partir de um ponto ocidental. Os russos têm a missão facilitada, pois usam a rota polar. E assim os Estados Unidos estão a 20 minutos de distância através de um SS-25 (RT2PM em russo).

Entretanto os Etados Unidos têm menos de 450 veículos LGM-30G Minuteman-III em prontidão. E menos de 300 mísseis submarinos (288 no máximo pelos acordos START). Dos quais 50% estão sempre no porto, de acordo com a ordem executiva PDD-60 (de Bill Clinton). Só a Rússia tem 1550 ICBM (terrestres). Faltam os marítimos. Da China pouco sabemos, mas podemos assumir que estarão mais ou menos iguais à Rússia, devido ao acordo que têm entre si.

Quem está de fora, como eu, diria que os Estados Unidos estão a ser desarmados para um ataque externo pela sua própria liderança. Apenas posso concluir isso. E tal isso tem um nome: traição.