segunda-feira, 22 de abril de 2013

Estadofeudalismo

Gráfico de quanto o Estado recebe pelo trabalho dos outros.
Quanto o Estado recebe pelo trabalho dos outros

Alerto a vossa atenção para este artigo excepcional de Carlos Guimarães Pinto n'A Montanha de Sísifo.

Se há quem ponha o dedo na ferida, é o Carlos. O Estado anda-nos a levar tudo. Para quê? Para manter mais ou menos intactos os privilégios das mesmas classes de dependentes do Estado.

O Carlos Guimarães Pinto apenas se esqueceu, na imagem, de que o Zé terá de pagar Segurança Social pelo seu próprio emprego. Os 401 euros que sobram ao Zé dos 3000 que fatura ao cliente são na verdade menos. De qualquer forma, o artigo é indesmentível e as suas conclusões corretas: não é possível haver empreendedorismo em Portugal enquanto o Estado for o principal beneficiário do empreendedorismo alheio. Não se pode pedir ao português que arrisque para não receber, que se semeie para que outros comam o fruto.

Estadofeudalismo! O Estado trata-nos como servos da gleba.