quarta-feira, 29 de abril de 2015

A Leste, algo de novo...

A Marinha Finlandesa disparou umas cargas de profundidade contra um submarino «estrangeiro» (está-se mesmo a ver de quem é) detetado nas águas perto de Helsínquia. Foi ontem.

Não podemos andar a provocar o urso sem que as garras se soltem. Deem o primeiro passo, acabem com as estúpidas sanções e vão ver como as coisas se estabilizam.

A verdade é que se o Putin quisesse a guerra, já a teria iniciado. Provocações não lhe faltaram nestes últimos três anos. Tenho a certeza de que metade da Europa alinhava com o Putin, e eu estou nessa metade, por causa do comportamento completamente hostil para com os cristãos e os conservadores que a Comissão Europeia tem patrocinado.

Eu sou cristão e conservador. Não quero socialismo. Quero paz e um bom acordo comercial com a Federação Russa. Os acordos comerciais unem as nações. A Europa deve deixar de fazer favores ao Obama e perceber de vez que a Rússia faz parte da Europa. A Europa cultural acaba a nordeste de Vladivostok, nas Ilhas Diomede, repartidas entre os Estados Unidos e a Federação Russa.

A Rússia já não é comunista. O Partido Comunista da Rússia tem menos de 20% dos votos. A Rússia Unida é tudo menos comunista. Quem está a caminhar para o socialismo, e a passos largos, são os Estados Unidos e a União Europeia. A União Euroasiática não é a União Soviética. O comunismo mudou-se da Rússia para a Europa Ocidental e aqui assentou arraiais. A solução é simples: podemos, como país independente, pedir o estatuto de observador na União Euroasiática e celebrar independentemente um acordo de livre comércio com a Rússia. Somos um país credível a nível de direitos humanos e os russos não iriam rejeitar essa credibilidade.