terça-feira, 11 de março de 2014

É chato ter-se razão!

Mitt Romney. Afinal, cheio de razão.

Um homem com razão

Quando Willard Romney (Mitt é diminutivo) apontou a Rússia como o maior inimigo estratégico dos Estados Unidos, foi incendiado pela imprensa em geral. O Presidente Barack Obama até gracejou: «os anos 80 chamam ao telefone e querem a sua política externa de volta.»

A crise da Crimeia e da Ucrânia mostra que Mitt Romney tinha razão. Já o tinha em relação ao Mali, à economia americana e mais uma vez mostrou conhecer mais e melhor o Mundo do que o democrápula (grafia intencional!) Barack Obama. Os Estados Unidos perdem por não o ter eleito. O Mundo perde por os Estados Unidos estarem tão tíbios e pusilânimes.

Um emperresidente que perde a razão

Barack Obama é o desastre final para os Estados Unidos. Duplicou-lhe a dívida (que aliás já tinha sido duplicada por George W Bush). Enfraqueceu-lhe a economia. Destruiu a nação americana. O duo Bush-Obama está para a economia americana como Sócrates para a portuguesa.

Os Estados Unidos enfraquecem. A Rússia agradece. Os ucranianos sofrerão. Mesmo reconhecendo eu que Putin será sempre melhor líder que Barack Obama, Putin não viverá para sempre. A minha opinião sincera é que em breve Putin será apeado pelos que cobiçam o poder. A luta surda pelo poder na Rússia está no adro. O zumbido é audível para quem quer ouvir.